segunda-feira, 2 de novembro de 2009

ME JOGA NA PAREDE E ME CHAMA DE LAGARTIXA

Eu não costumo me deixar levar por quase nada... tenho meus argumentos e contra argumentos muito bem argumentados e não sou de abrir mão do que decido... a menos que me provem o contrario... amooo aprender...

Mas...

Querem me ver totalmente desbancada? Amolecida? Embebida?

Põem diante de mim o argumento mais ilógico de todos, porém o mais poderoso que há, aquele que sai da boca dos meus filhos...

Não sei direito o que é...

Talvez a vozinha doce deles, misturada com aqueles olhinhos incriveis e profundos que os dois tem, ou então é a emoção pura que transborda alem das palavras ditas por eles... eu não sei...

Ontem eu estava deitada lendo um livro e o mais velho veio me chamar "Ei, mamãe, vem cá... mustá uma toisa pu cê." Eu disse que agora estava lendo e ia depois... ele então chamou o pai com a mesma frase (Ei, papai, vem cá... vou mostrar uma coisa pra voce). O pai foi.

Ele levou o pai até a sacada e disse: "Olha, veja... dia bunito e espexial... dia de ir no parque!"

Afff... levantei na hora da minha cama... dei-lhe um beijo... e tive que concordar com ele... o dia estava tão lindo... tão especial... fiz o maridão catar as coisas e fomos levá-lo para brincar! rsrsrs

Ontem mesmo eu lhe servi um suco meio gelado e ele disse que não queria pois estava muito frio... eu misturei com um pouco de agua natural e perguntei se tinha ficado melhor... a resposta dele foi a seguinte : "Sim mamãe, me sinto melhor." rsrsrsrrs

Na hora do banho ele correu na minha frente e colocou a banheira no box do banheiro... eu agradeci dizendo "obrigada filho!" e ele me disse: "Bigagu vucê, mamãe!"
"Aaaa filho... de nada! rsrsrs" E ele "De nada vucê, mamãe!"

Afff... me quebra as pernas assim filho!

Quando vejo as dobrinhas dos braços do meu mais novo bebe, eu tenho vontade de me jogar no chão e dar birra (rsrsr) de tanta vontade de esmagá-lo... de tanta paixonite aguda... de tanta gostosura... ele ri enquanto eu tento me controlar para não esmaga-lo e nessa hora percebo que estou totalmente nas mãos deles...

Ainda bem que depois passa e eu posso fazer meu "papel de mãe" mais decentemente... rsrsrs... "Aaa moleque desce dessa cadeira agora... se não tu vai pensar no cantinho!" "Aaaaiii Meu Deus do céu, já falei que é hora de dormir... guarda esses brinquedos de uma vez menino!" rsrsrs... entenderam, ne? Papel de mãe, oras!

Sobre o post anterior... e os cuidados com os meninos... é o seguinte: Eu sempre achei que criança tem que ser criança... brincar.. subir em arvores, correr, brincar sem camisa, descalço, brigar de vez enquando, levar uns arranhoes dos amigos, dar uns petelecos neles... enfim... viver ne gente?

Quando o mais velho começou a engatinhar... subir nas coisas e depois andar de fato... eu falava TODOS OS DIAS que ia comprar um capacete para ele... porque era cada tombão... eu estava sempre ali... nem que fosse só para observar e poder orientar de longe (sempre CONFIEI DE MAIS NA CAPACIDADE DELES), mas mesmo por perto os tombos acontecem nessa fase... dos 6 ou 7 meses até começar a andar de fato... Todo mundo dizia que eu era muito esperta e muuuito rapida na hora de evitar uma queda ou coisa parecida... mas sempre acontecia... porque ele nunca parav de inventar um jeito novo de conhecer o chão.

O que quero dizer é que tenho e sempre tive bastante cuidado com eles... é verdade... porque acho que não custa fazer a nossa parte... mas por outro lado, eu sempre deixei que eles exploracem o que representava pouco risco... sempre permiti que ele explorasse seu mundo... e eu estva sempre por perto para orienta-lo, observa-lo e mostrar a ele que meu olhar sobre ele não era de controle, mas de confiança...

E o lance das cercas é uma coisa que me traz muita segurança... acho mais facil colocar cercas em partes mais perigosas da casa do que ficar o tempo todo largando a panela do fogo para ver se estão ou não em risco...

Agora quando meu tempo é todo deles a história é outra... eu incentivo que subam, que desçam, que manuseiem, mas tudo junto comigo, orientando, ensinando, observando... tanto que meu menino de dois anos sabe recortar papeis com tesoura muito bem, recorta mesmo, mas somente quando está comigo.... e a tesoura é sem ponta e mesmo assim fica guardada bemmm no alto de um armario... porque quando são pequenos e estão sozinhos, muitas coisas podem representar riscos, mas quando estão conosco, tudo o que há neste mundo representa uma oportunidade de aprendizagem e de interaçõ deliciosa... como sempre digo, o bom senso deve ser a palavra chave dessa nossa tarefa.

Porque o cuidado representa amor e não falta de confiança em suas capacidades.

Quando dou uma bronca nele, depois sempre explico que estou mostrando que pode ser diferente porque seiii que ele consegue. Uma vez vi uma pesquisa que confirmava que a auto estima potencializa ou bloqueia a aprendizagem... (auto estima baixa bloqueia a aprendizagem, enquanto a auto estima alta, potencializa!)

Eu quero que eles saibam de uma coisa nessa vida: "Eu acredito que eles são capazes!"

8 comentários:

  1. Ai Naninha, sem comentários... Eu fico maravilhosamente abobada lendo seus post. Como eu adoro.
    Também penso com vc, em querer que a criança cresça brincando, bagunçando, se machucando, aprendendo. Também não quero criar minha filha numa redoma de vidro, cheia de não me toques.
    Eu tive uma infância maravilhosamente deliciosa, com brincadeiras, descobertas e machucados é claro... E quero que a Luísa Sofia tenha a mesma liberdade.
    Mas claro que como mães, temos a função de observar, de estar atentas, de acudir se for necessário... E claro, sempre incentivando, nunca desapontando...
    Ai adorei demais...
    Ahhh flor, quanto ao carrinho, o da Luísa é quase igual o da foto que vc me mandou, mas é azul bem escuro e tem as rodas mais largas.
    Vou ver se acho algum site com ele, porque não me recordo da marca, e o carrinho só tinha um adesivo com a marca, mas o adesivo caiu haha.
    Vou pesquisar com o meu marido sobre o nome e se ele lembrar eu envio pra vc... Qualquer coisa coloco uma foto no blog pra vc ver...
    Beijos querida
    Fiquem com DEUS

    ResponderExcluir
  2. Oi "naninha"!
    Td bem? Achei seu blog por acaso!!Fui no google procurar sobre..segunda gravidez(ainda sao sò planos!!!) e entao apareceu o seu link..entrei e adorei seu blog! Podemos fazer amizade? Posso te adicionar ao meu blog?
    Ps. A propòsito, hehe, qual seu nome?Eu me chamo Daphne.
    Bjs

    ResponderExcluir
  3. Oi flor, desculpe a ausência, está corrido aki.
    Eu também fico por perto quando a Nathalia quer subir ou pula em algo, mas não impeço, acho que ela mesma tem que testar até onde pode ir.
    E também fico desarmada quando ela me pede algo, existe algo mais fofo do que os filhos???
    Bjs e espero que estejam todos bem!
    Fiquei sabendo da benção do Ap, a Si me contou. Parabéns! É Deus amiga, é Deus!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  4. Naninha, agora sei exatamente o que é isso... Qnd o Theo, mesmo com tão poucos dias, olha pra mim, eu desmoro. Não importa, a lógica fica ilógica... Não sei explicar, mas entendo muito bem o que vc quis dizer!

    Beijão Naninha

    Mamãe e Theo

    ResponderExcluir
  5. Ah o que um olhar de nossos filhos não conquista, né? São doces, puros de coração, meigos, inteligentes é tudo de bom!!!Amiga vc que teve um bebê pertinho do outro poderia me dar sua opinião lá no meu blog sobre o segundinho(a)????
    beijos
    Val e Gui

    ResponderExcluir
  6. Tem sorteio no meu blogger, bora participar??

    http://utilidadedemae.blogspot.com/2009/11/promocao-mamae-modernex-quem-ganha-eu-e.html

    bjs

    ResponderExcluir
  7. Que lindo!
    Eles tem mesmo o dom de nos amolecer com aquelas carinhas fofas!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  8. Oi! Que bom, vou entao adicionar vc, espero trocar "figurinhas" sempre com vc, ehehe!
    Bjo e bom fim de semana!

    ResponderExcluir